prevenção e informação

Um conflito que mata mais de 10 vezes, por ano, o que a guerra da Síria matou desde o seu início, em 2011


Imagine um conflito que mata, por ano, dez vezes o que a Guerra da Síria matou desde o seu início em 2011, que já matou mais do que a Segunda Guerra Mundial. Um conflito que atinge 425 milhões de pessoas em todo o mundo, e que tem a previsão de deixar um rastro de mortes de pessoas cada vez mais jovens, sem distinção de classe social, crenças, religião, em todos os continentes, além de privar grande parte delas de qualidade de vida. No Brasil, atinge 12,5 milhões de pessoas. Esse conflito custou, em 2015, aos cofres públicos, R$ 190 bilhões de reais, superlota hospitais e os sistemas de saúde, encarecendo-os cada vez mais.

Imagine que apesar do seu poder de destruição e do alto valor investido nessa guerra, ninguém se importe muito em barrá-la, mesmo sabendo que existem mecanismos? E imagine que você poderia ajudar a por fim a este conflito. Ficaria de braços cruzados?

Este é um conflito silencioso, é uma guerra que ocorre dentro do organismo, o minando por dentro. Quando as pessoas se dão conta, já pode ser tarde para escapar sem sequelas.

Não faz ideia de que conflito seja esse? Não ouviu muito a respeito nos jornais, ou nas mídias sociais?

O nome desse inimigo silencioso é diabetes!

As pessoas se importam com câncer, se importam com tantas outras doenças, e devem continuar se importando. São causas importantes. Mas e o diabetes? Por que não se importam com diabetes, que é quarta causa de morte no mundo? Quarta causa, mas as anteriores podem estar relacionadas ao diabetes: doenças cardiovasculares, por exemplo… e outras que estão à frente.

Eu não tenho diabetes tipo 2, que pode ser prevenido, sou MODY, não teria nunca como prevenir, porque é uma alteração cromossômica. Mas eu me importo com o que vem ocorrendo na saúde, para onde estamos caminhando, com o possível colapso do sistema, com a falta de produtividade de pessoas jovens, com a queda de qualidade de vida de pessoas idosas, e com todas as mortes em decorrência da doença.

As pessoas não se importam como deveriam, porque vêm a pessoa com diabetes tipo 2 como aquela pessoa que tem a doença “porque escolheu ter, porque é descontrolado, porque não se cuidou…”, assim como vêm a pessoa com Obesidade. E são doenças tão mais complexas, com tantos fatores de risco. 

Os maiores gastos do diabetes vêm com hospitalizações devido à complicações. Em média, uma pessoa demora 7 anos para ser diagnosticada, tempo suficiente para as complicações se instalarem.

Uma pessoa a cada 6 segundos morre em decorrência do diabetes no mundo, e eu me importo! E sim, é possível mudar essa realidade. Investindo em diagnóstico precoce, e intervindo na fase do pré-diabetes, com mudança no estilo de vida, incluindo pequenas doses de atividade física por dia, somando 150 min por semana, e tendo uma alimentação equilibrada. Mas a população precisa de educação, mas nós não precisamos esperar só do governo, sem fazer a nossa parte. A população precisa de agentes de mudança, pessoas interessadas em orientar quem tem menos instrução.

Meu sonho é ver cada um de vocês tomando para si essa missão. Pode parecer exagero falar em salvar o mundo, mas é isso. Precisamos salvar o mundo do diabetes. Essa é nossa guerra! Se a perdermos, pode ser que ela destrua nosso futuro.

2 comentários em “Um conflito que mata mais de 10 vezes, por ano, o que a guerra da Síria matou desde o seu início, em 2011”

  1. Luciana cadê a vacina que vai curar as pessoas desse diabete, ela está sendo testado nas pessoas em Boston nos estados unidos isso é verdade?

    Enviado pelo meu Windows Phone
    ________________________________

    1. Existem estudos para o desenvolvimento de vacina relacionados ao tipo 1 da doença. Mas ainda em fase bem inicial. O tipo 1 é uma doença autoimune, não há prevenção, e corresponde a 10% dos casos de diabetes. O diabetes tipo 2 é uma doença de grande prevalência, associada a fatores de risco, como obesidade, sedentarismo, alimentação desequilibrada, diabetes gestacional, histórico familiar, presença de Síndrome dos Ovários Policísticos, entre outros fatores. É possível prevenir. Existe uma fase anterior ao desenvolvimento do diabetes, que é o pré-diabetes, se houver intervenções nessa fase, a pessoa pode prorrogar o surgimento do diabetes, ou até mesmo impedir que ele se instale. Para isso é preciso investir em mudança de estilo de vida: inclusão de 150 min, por semana, de atividade física (caminhadas, subir e descer escadas, limpar a casa… tudo vale para somar 30 min diários), e adoção de hábitos mais equilibrados de alimentação, com controle de carboidratos refinados, gorduras saturadas, inclusão de cinco porções de vegetais e frutas por dia, ingestão de água. Uma boa noite de sono também faz diferença. É deste tipo de diabetes que estamos falando no texto, que atinge 90% das pessoas com diabetes no mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s